<<< Ta ficando velho... Hein!!! <<< Meu Amigo(a), você que fez parte da geração anos 2000, 90, 80, 70... não deixe que nossas lembranças sejam esquecidas!!! <<< Indique/Recomende este Site para seus Amigos(as), e deixe que eles também voltem ao passado e se divirtam!!! <<< Participe de nosso Fórum de discussão, em nosso Site/Comunidade no Facebook postando suas fotos e vamos relembrar, com outros internautas, nossas lembranças!!! <<< Assine também nosso Livro de Visitas e deixe seu Recado. <<< BOA NAVEGAÇÂO !!!

Vamos relembrar: Armação Ilimitada, Agente G, Arca de Noé, Arrelia, Balão Mágico, Bambalalão, Bozo, Capitão Furacão, Casa de Brinquedo, Capitão Aza, Cocoricó, Cometa Alegria, Curumim, Crush, Comandos em Ação, Circo Bombril, Do Ré Mi Fá Sol Lá Simony, Domingo no Parque, Doutor Cacareco, Falcon, Fuzarca & Torresmo, Garoto Juca, Gente Inocente, Gincana Kibon, Globinho, Globo Cor Especial, Gurilândia, Propaganda do " meu 1º sutiã ", Clube da Criança, Pirucóptero, Amendocrem, Biscoitos Monstrinhos Creck, Grupo Metrô, Hugo Game, Ciclone, Magazine, Lupu Limpim Clapla Topo, Mariane, João Penca e seus Miquinhos Amestrados, Ferrugem, Aracy de Almeida, Palhaços Atchim e Espirro, Cometa Halley, Álbuns de figurinhas do Amar é, Revistas de pintar com água, He-man, Thundercats, Viva Noite, Fofão, Jaspion, Changeman, Espectroman, Jiraiya, Sharivan, Sinhozinho Malta, Chips, Filmes do Jerry Lewis, Tênis M2000, Montreal, Ki-Chute, Iate, OP, Cairê, Mini-engradados de Coca Cola, Caloi 10, Canetas de 10 cores, Ferrorama, Autorama, PogoBall, Geleca, Creme Rugol, Loira do banheiro no Colégio, Glub Glub, Plunct Plact Zuum, Rá Tim Bum, Zas-Trás, Topo Gigio, Show Maravilha, Teatrinho Trol, Tia Gladys, Tv Colosso, Uni Duni Tê, Vila Sésamo, Xou da Xuxa, Turma dos Sete, ZYB Bom, etc...

contatootempopassa@gmail.com | facebook.com/otempopassa | instagram.com/otempopassa

27 de dez de 2015


20 anos do PlayStation: relembre 13 games clássicos

Metal Gear Solid PS1

GUSTAVO SUMARES

Com os anúncios dos novos iPads e iPhones, um marco expressivo passou despercebido nessa quarta-feira, 9 de setembro de 2015: o aniversário de 20 anos do lançamento do primeiro Playstation em solo ocidental!

Embora tenha sido lançado no Japão em dezembro de 1994, a Sony costuma considerar 9 de setembro como a data de lançamento "oficial" do console, pois foi quando ele conquistou o mercado norte-americano.

O bisavô do Playstation 4 teve uma bela cota de jogos memoráveis, que não apenas ofereceram ótimas experiências a quem tinha o console, mas que também influenciaram muitos dos clássicos das gerações futuras de console.

Em comemoração ao 20 anos dessa antológica peça de hardware da Sony, selecionamos alguns dos games mais memoráveis lançados para o sistema. Alguns deles deram início a séries de enorme sucesso, outros trouxeram mecânicas de jogo novos, e outros ainda eram simplesmente muito divertidos. buscamos diversificar, tanto quanto possível, os gêneros e as épocas.

Vale lembrar também que muitos desses clássicos podem ser jogados gratuitamente online! Saiba como fazer isso.

Tomb Raider

Foi no primeiro Playstation que a arqueologista e exploradora Lara Croft se tornou uma celebridade. Apesar de controles relativamente complexos e gráficos bastante datados para os padrões de hoje, a dinâmica de exploração de cavernas e locais ermos do jogo, combinada com a grande variedade de saltos e movimentos de que a heroína era capaz, fizeram de Tomb Raider uma aventura incrivelmente envolvente. As diversas sequências que o jogo ganhou até tiveram coisas boas, mas não se comparam ao original.

Final Fantasy VII

É possível passar anos discutindo qual dos jogos da série Final fantasy lançados para o PS1 foi o melhor (a internet tem feito isso há bastante tempo). Final Fantasy VII, no entanto, tem a vantagem indiscutível de ser o primeiro jogo da série em 3D, e a introdução do jogo, que leva os jogadores pelas favelas de Midgar até a estação de trem onde a ação começa, é um dos momentos mais marcantes da história dos games. De lá, o jogo só melhora, com sua história gigantesca e cheia de reviravoltas surpreendentes, um sistema de combate incrivelmente complexo e uma infinidade de atividades paralelas para se fazer no jogo. Não é à toa que a Sony finalmente fará um remake do clássico.

Metal Gear Solid
A série de jogos de ação e espionagem dirigida por Hideo Kojima, que chegou recentemente à sua quinta edição, também começou no primeiro Playstation. Quando foi lançado, Metal Gear Solid causou furor por conta de suas mecânicas de infiltração e steath: nenhum outro jogo até então havia desafiado os jogadores a se infiltrar numa base sem ser percebido pelos guardas. A história estranha e ambiciosa, os chefões desafiadores e bizarros (como Psycho Mantis, que conseguia “ler sua mente” a partir das informações do Memory Card) e os personagens marcantes, que perduram na série até hoje, fazem desse jogo um clássico inescapável.

Silent Hill
Esse clássico do primeiro Playstation atualizou a definição de “medo” para muitos dos que o jogaram quando ele saiu. O jogo, que segue a história de um homem normal que sai em busca de sua filha pela estranha cidade que dá nome ao jogo, foi incrivelmente influente para o gênero de survival-horror. Diferente do que era comum naquela época, em Silent Hill o seu personagem é uma pessoa normal, sem qualquer habilidde de combate - o que torna os monstros hediondos que patrulham a cidade ainda mais assustadores. A sensação de impotência diante dos mistérios horríveis que aguardavam a cada canto da cidade foi justamente o que acabou tirando o sono de muitos jogadores.

Parappa the Rapper

Em retrospecto, talvez Parappa the Rapper não seja um jogo tão bom assim: ele tinha apenas seis fases, gráficos toscos (embora charmosos) e uma história bem estranha, sobre um cachorro rapper cujo principal interesse amoroso era uma moça com cabeça de margarida. Mas o fato é que ele foi um dos primeiros jogos de ritmo, nos quais os jogadores precisam apertar os botões certos de acordo com a batida da música. Por esse motivo, outros clássicos como Dance Dance Revolution, Guitar Hero, Rock Band e tantos outros jogos que se valem de mecânicas semelhantes devem ao cachorro rapper pelo menos parte de seu sucesso.

Twisted Metal 2
Há algo estranhamente satisfatório em ver carros estranhos batalhando entre si com metralhadoras, mísseis e outras armas inusitadas, e a série Twisted Metal apostava nessa sensação. Twisted Metal 2 era muito divertido de se jogar em multiplayer, tanto pela oportunidade de destruir os carros de seus amigos quanto pelo fato de que, no modo single-player, o jogo era cruelmente difícil. Além disso, o jogo tinha uma série de movimentos “secretos”, como saltos e raios congelantes, que você só conseguia descobrir (naquela época fetal da internet) em revistas de games ou tentando apertar todos os botões ao mesmo tempo, o que ajudava a dar uma certa profundidade ao jogo.

Crash Bandicoot
A tentativa da Sony de criar um mascote tão popular quanto o Mario da Nintendo evidentemente não deu certo. No entanto, Crash Bandicoot e suas sequências continuam sendo jogos bem legais. Sua principal inovação foi levar os jogos de plataformas com estruturas lineares (uma fase em seguida da outra) para o mundo tridimensional: enquanto Super Mario 64 não chegava aos Estados Unidos, o animal estranho da Sony deu aos jogadores suas primeiras experiências em realizar saltos precisos em três dimensões.

Chrono Cross
Chrono Cross tinha diante de si a árdua tarefa de suceder Chrono Trigger, um clássico do Super Nintendo considerado, até hoje, um dos melhores RPGs já lançados. O mais impressionante, no entanto, é a forma relativamente despreocupada como os desenvolvedores abordaram o desafio. Tirando a mecânica de “viajar no tempo”, o jogo tem muito pouco a ver com seu antecessor, e é incrivelmente ambicioso: possui um complexo sistema de batalha baseado em cores, uma lista com mais de quarenta personagens jogáveis, uma história cheia de bifurcações e escolhas difíceis (algo bastante incomum para a época) e uma trilha sonora incrível. Mesmo hoje em dia, é raro encontrar jogos que assumam tantos riscos de uma só vez.

Tekken 3
Talvez a melhor de todas as séries de jogos de luta em 3D, Tekken chegou ao seu ápice com Tekken 3, lançado no primeiro Playstation. O terceiro game da série trouxe uma enorme diversidade de modos de jogo, como o Tekken Ball (uma espécie de vôlei de praia com luta) e Tekken Force (semelhante a um jogo Beat’em up). E isso sem falar do elenco enorme, que incluia um homem-árvore, um pequeno dinossauro, um panda e o capoeira brasileiro Eddy Gordo, que muitos escolhiam para sair apertando todos os botões ao mesmo tempo e mesmo assim ganhar qualquer luta.

Gran Turismo 2
Até o início da série Gran Turismo, nenhum outro jogo de corrida tinha conseguido capturar tão bem as emoções de disputas em alta velocidade. O nível de detalhe que se podia alterar nos carros, como a relação de marchas, pressão e tipo dos pneus e a tensão das suspensões - além do fato de que mexer nesses detalhes alterava visivelmente o comportamento dos carros na pista - eram simplesmente inacreditáveis. O primeiro jogo teve o mérito de atrair muitos jogadores para o gênero de simulação de corrida, mas o segundo, que trouxe ainda mais carros, pistas e opções de customização, é um marco do gênero.

Grand Theft Auto
Uma das séries mais comercialmente exitosas da história dos games, Grand Theft Auto também teve sua estreia no PS1. A partir de GTA 3, a série adotaria a perspectiva de terceira pessoa em um mundo tridimensional que lhe rendeu tanto sucesso. Mas mesmo em sua estreia, com seus gráficos bem mais simples e a perspectiva “de cima para baixo”, o jogo ainda tinha algumas características muito valiosas: o cenário “open-world”, que permitia que o jogador perambulasse à vontade por toda a cidade, e a estrutura aberta, sem qualquer obrigação de se seguir determinados objetivos e a possibilidade de se fazer qualquer coisa que desse na telha. Essas escolhas de design foram tão responsáveis pelo sucesso da série quanto os belos gráficos que ela viria a ter depois.

Tony Hawk’s Pro Skater
Quem não se lembra do depósito que era a primeira fase de Tony Hawk’s Pro Skater, ou da música “Superman” da banda Goldfinger não pode dizer que teve uma infância ou adolescência completa. O jogo de skate inspirado no primeiro skatista a conseguir completar um giro de 900º de um salto no half-pipe teve uma influência que transcendeu os jogos e até mesmo levou muitos jovens a comprarem skates para tentar imitar (quase sempre sem sucesso nenhum) as manobras do jogo. São poucos os games que podem se gabar de ter feito os gamers saírem de frente da TV, mas Tony Hawk’s Pro Skater é um deles.

Resident Evil
Outro clássico do gênero survival-horror que estreou no Playstation 1, Resident Evil praticamente dispensa apresentações. O jogo, que se passa inteiro dentro de uma mansão infestada de zumbis, não apenas estabeleceu uma das séries mais queridas do gênero como também criou uma das aventuras mais marcantes daquela geração de consoles. Algumas de suas mecânicas, embora hoje em dia pareçam bem datadas - como a limitação de espaço no inventário e a necessidade de se utilizar “ink ribbons” para poder salvar o jogo - na época ajudavam a aumentar ainda mais a tensão. Quem não passou pelo momento em que os cachorros-zumbis atravessam as janelas de vidro não sabe o que é um “susto”.

0 comentários:

Postar um comentário


Ta ficando velho... Hein!!!

Meu Amigo(a), você que fez parte da geração anos 70, 80 e 90, não deixe que nossas lembranças sejam esquecidas!!!

Clique Aqui e Indique/Recomende este Site para seus Amigos(as), e deixe que eles também voltem ao passado e se divirtam!!!

Gostou dessas Lembranças? Então "Clique Aqui" e comente, deixe seu Recado no nosso Livro de Visitas.


Custom Search